LUIZ ALBERTO MACHADO

Loading...

segunda-feira, dezembro 14, 2015

LUCIAH LOPEZ EM VERSOS & ENTREVISTA


 

LUCIAH LOPEZ – (Fotos do acervo de Luciah Lopez) Primeiro ela foi destacada no meu blog Varejo Sortido, contemplado alguns dos seus poemas, em 2011. No mesmo ano, selecionei alguns dos seus ótimos poemas eróticos e os fiz publicar no meu blog Crônica de Amor Por Ela. Em 2014, ela foi inserida como homenageada na Campanha Todo dia é diada mulher. Agora faço um novo destaque da dimensão literária dessa admirável escritora paranaense que se diz amadora. Primeiro vamos pros versos:

 

 

ESCURIDÃO

eu não tenho medo do vento
nem das noites de escuridão medonha
onde nada mais se vê,
e nem se ouve

em noites assim
só o tilintar das moedas e o andar abafado
_arrastado andar de sacristão embriagado
pelo vinho e pelos olhos de fogo

...olhos acesos nas noites de longos tempos

((teiniaguá))

a pedra de sol - brilha
libertando o amor
e fazendo prisioneiro - o Tempo - em carrossel
de vinho e estrelas cadentes

e o que era belo
fica triste e o verde
adormece as cores do dia
despertam a noite

andarilha através dos tempos

PAIXÃO

Essa hora de azul céu
é um convite ((antes que seja tarde))
________ao amor jogado ao léu...
E quem resiste? Se nas veias o sangue arde?!

Vem! Se entrega a esse abandono
na rede, na relva, no tapete ((tudo inspira))
dias assim _______ amor em final de inverno
aquece ((feito um vinho)) que a alma transpira!

A boca tesa se oferece
ao beijo____________ a hora é propícia!
Fecha os olhos e o mundo desaparece

Tudo é paixão, intenso tesão
o desejo arde em ousadas carícias
e os amantes___________rolam pelo chão!

MACABEA

Arrê!... Estrela que acende azul
alumiando a vastidão que acredita
no sopro do vento.
Desse vento que roda o mundo
girando obediente à rosa dos ventos.
Entre os rabiscos
da virgem que tece rendas - as vagas lembranças do navio
carregado de sonhos e o cheiro das goiabas maduras...
A paixão é a fantasia
é a diva - a estrela maior!
Mas quando chega o poente e atropela
as letras, lembra-se que é medíocre
e os erros saltam as palavras - semântica/ticaseman
léxico/lé_xi_co [xicolé/colixé/loxicé - formiga lava-pé]
A noite vem desembocar aqui
e o cisco cai do olho sem ser soprado...
...hoje é a noite da minha noite!

EU TE AMO

Eu te digo: “Eu te amo”
nas horas mais impróprias
Nos momentos mais loucos
Quando o tempo se deita
encobrindo a barra da tarde...
Eu te amo em cada sopro do vento
Que me canta a tua voz,
Em cada flor que se abre
Nos seus lábios/amor
Em cada estrela que acende
Nos teu olhar
Em cada gota de orvalho
Nas tuas mãos/conchas d’água
para matar minha sede.
Eu te amo além, muito além dos limites
Da vida e da morte
Da razão e da loucura.
Além dos planos e dos anseios
Além de toda dor e toda lágrima
Eu te amo, porquê você é parte minha
Corre em minha existência
Sangue/fel/mel da tua boca que me alimenta
Enquanto te espero no vão do tempo
Pois o amor não morre – [fortifica-se!]
E calado se dá, numa entrega total.
Eu te amo e você vive.
Eu te amo e eu vivo.

PLENILÚNIO

Ouço a sua alma
Dentro de um pensamento
Nas carícias de um vento sem nome
Que me acolhe num abraço
Que até minh’alma se sente afagada.

Plenilúnio!...

O manto azul se rasga de cima abaixo
Parindo a lua dos seus olhos
Suspensos no meu olhar...
A esperança é sublime dançarina
Desfolhando-se entre as palmeiras
No claro escuro dos sonhos ainda por sonhar...

Os dias já não são iguais – o outono
Veste as tardes de folhas vermelhas
E o vento auspicioso
Canta em meus ouvidos – e a sua voz
Sussurrante
Beija meus lábios em versos carregados
De estrelas cadentes...

TEMPO MINGUANTE

A olhar pela janela
a mulher vê o tempo afastando-se.
Não sabe se chora não sabe se ri.

Calada em suas lembranças
aninhando-se em sonhos
não fala nem grita.

O tempo sorrateiro se afasta.

A mulher na janela, envelhece.

SORVETE COM CALDA DE WHISKY

As horas morrem nos ponteiros do relógio
Enquanto Esopo cria fábulas
As uvas ainda estão verdes
E os carneiros saltam sobre as cercas...
Os ponteiros dançam ao som de Straus
E você, deixa os pés de molho em água fria?!
São tantos ocasos e lunações
Que as marés já sentem enjoos.
E a chuva não vem mais,
Pegou carona no vento sul...
Talvez eu ouça Prince mais tarde
E tome sorvete com calda de whisky
Talvez o tempo acenda as luzes da ribalta
E tudo volte a fazer sentido
Como numa tabela de cores
Ainda assim, eu vou ficar aqui mais um pouco
Porquê a mediada que a sombra caminha
Eu arrasto o meu banquinho – rsrs
e o arco do céu faz sombra aos meus olhos
Então eu posso contar as marés...

CÚMPLICE

Voluptuoso é o céu da tua boca
que faz germinar a Via Láctea na vertente das minhas coxas
deixando o corpo exangue
__________no delírio suspenso de cada gozo!
E nos lençóis amarrotados, o perfume de jasmim
cúmplice
inebria os sentidos
e faz arder a pele
que mostra agora, o que eu não pude ser
ou fazer na noite escura do teu prazer.

INVERNAIS

_________apontou-me com o dedo
o que me bastava saber
então, pude mover os lábios e beber
da água cristalina
que escorria sobre as folhas verdes

o Tempo, este repousava com os olhos embaciados
recusando-se a olhar-me...

contemplei o Silêncio!
era repleto de sons e o mundo pareceu-me um
anelado mar sem fim,
inteiro de sensações navegando para dentro dos meus olhos
que não tinham paragens e nem signos ( ! )

ressoavam as dores do firmamento
num parto seco e palpitante de singularidades
e a Esperança, sorriu___________ destemida, levantou
a mão e fez o sinal...

o firmamento, tornou-se visível e claro
e límpido e mais uma vez  o inverno das brancuras
achegou-se__________e sem alterar as cores
eu pintei aquilo que os meus olhos
transformaram em poesia.

HAIKAI 97

na folha seca
as mãos do tempo
borda crivos


ENTREVISTA – Agora, vamos conhecer um pouco mais dessa escritora que edita os blogs Palavras de vidro: toda palavra nua, é branca reunindo o seu acervo poético, o Algodão doce e poesia com seus trabalhos para o público infantil, o Orvalho reunindo seus haicais, o Palavras no papel: crônicas, contos e prosas e o saborosíssimo e tentador Arquétipo, reunindo seus textos eróticos. Ela também reúne seus trabalhos literários no Recanto das Letras. Agora, pra vocês, Luciah Lopez.

 

LAM - Luciah, vamos pra pergunta de praxe: quando e como se deu seu encontro com a Literatura?

Foi através do meu pai. Quando eu era criança, era bastante comum, as pessoas receber em casa os representantes das editoras vendendo livros de romances e as famosas enciclopédias. Quem não teve uma Enciclopédia Barsa, por exemplo?! E aos oito anos de idade ganhei o meu primeiro livro e foi através de José Mauro de Vasconcelos que eu fui apresentada a Literatura.

LAM - Quais as influências da infância e adolescência que lhe marcaram na definição da militância pela área literária?

Depois de todos os livros de Machado de Assis, vieram os poetas parnasianos e na sequência, descubro nas prateleiras da biblioteca do colégio onde eu estudava a obra completa de Clarice Lispector, Florbella Espanca, Almeida Garret e muitos outros poetas da atualidade. Um pouco mais tarde, com a Geração Mimeografo, tive contato com a poesia emergente nos anos 70/80. Paulo Leminski, Torquato Vilhena e outros. A partir deste encontro, senti que escrever seria não só um objetivo na minha vida, e, sim, o maior prazer em viver uma vida ligada à poesia.

LAM - Que autores marcaram na sua formação e conduziram na rede de influências o seu trabalho literário?

Clarice Lispector sem sombra de dúvidas me abriu as portas da poesia e por ela entram Helena Kolodi com os seus haikais, Leminski com a sua irreverência poética e  Cora Coralina com suavidade e doçura.

LAM - Você edita desde 2008, o blog Palavras de vidro. Quais os propósitos desse espaço na rede?

Em 2008 quando resolvi romper a barreira da timidez e postar no Recanto das Letras, tive uma boa aceitação e isso me motivou a criar o Blog Palavra de Vidro, que mesmo sem uma divulgação adequada tem muitos acessos do Brasil e do exterior. Isso de certa forma é bom, porque eu ainda não tenho um livro publicado e assim, a minha poesia não fica restrita só aos de sites específicos. Os Blogs tem um alcance mais amplo e Palavras de Vidro me dá essa alegria.

LAM - Você também edita desde 2008 o blog Orvalho, publicando seus haicais. O que levou você a trabalhar esse gênero poético?

Penso que seja não somente a estrutura do haikai, mas a presença do kigo dá ao “poema” um lugar de destaque. No Brasil, Afrânio Peixoto percebeu o haikai “quase como uma versão” das nossas Quadras, mas ainda mantendo o formato original. Ganahei o livro de Fany Luíza Dupré – “Pétalas ao Vento - Haikais” me apaixonei. E no Recanto das Letras, conheci Luciano Almeida que escrevia haikais de uma forma leve e até bem humorada e tivemos muitas conversas sobre o tema e muitas leituras de Helena Kolodi, Guilherme de Almeida e Paulo Leminski e surgiu a idéia de criar um Blog especifico para haikai – Orvalho.

LAM - Há o blog Palavras no papel, que você edita desde 2011. Fala a respeito desse espaço.

Palavras no Papel é uma experiência no campo dos textos mais longos e mais elaborados, os Contos, Causos do Cotidiano e as Prosas. O imaginário do povo simples deste nosso país, é uma fonte inesgotável de histórias e causos que merecem um lugar. Personagens folclóricos fazem parte da minha historia vivida no interior do Paraná e pretendo fazer estes relatos no Blog Palavras no Papel.

LAM - Qual o propósito do Algodão Doce & Poesia, que você mantém desde 2012?

As poesias para crianças de pouca idade surgiram naturalmente nas minhas brincadeiras com minha sobrinha Daniela e depois com meu filho Bruno. Sempre gostei e tive uma facilidade em “explicar” algumas coisas para as crianças e através da poesia consigo uma cadência e uma sonoridade que é bem aceita. E pensando nas crianças idealizei o Blog Algodão Doce e Poesia.

LAM - Há também o belíssimo e envolvente Arquétipo, no qual você traz uma inscrição do Carl Gustav Jung e o mantém 2011. Qual a sua percepção a respeito da psicanálise junguiana com o ótimo conteúdo deste blog?

Arquétipo surgiu da necessidade de mostrar uma poesia mais crua. As mulheres carregaram por anos todos os tabus que foram incutidos por uma educação não digo machista, porque eu tive uma educação bastante liberal para a época, mas os tabus estavam lá. E eu ouvia nas conversas veladas, que mulher não goza, finge. Que mulher não demonstra seus instintos, que 'cio' é para os bichos, que ninguém ler Adelaide Carraro, mas, todas sabiam do enredo e essas informações ficaram latentes até eu começar a escrever de forma a valorizar o erótico, o lado sensual da mulher que deseja e sabe que pode desejar, e eu passei a receber comentários até mesmo ofensivos por parte de pseudopoetas, homens e mulheres, dizendo que aquilo era pornografia e não poesia. Entendi o arquétipo do ser humano a partir desses comentários e Jung deixa claro em sua definição de que o primeiro modelo é o que fica. Para muitos, os tabus ainda são a base de uma existência conflitante, para mim, o modelo é o que deve e pode ser mudado. No Blog Arquétipo procuro usar imagens que revelam a sensualidade e a sintonia dos versos.

LAM - Como você tem percebido a Literatura na atualidade? Que nomes você destacaria?

Eu vejo com bastante entusiasmo o grande desenvolvimento da Literatura no contexto brasileiro e mesmo sem muito incentivo para a poesia, esta, tem uma produção notável. E a transformação no mercado, faz com que novos autores surjam a cada dia. A diversidade da cultura brasileira é muito rica e temos grandes nomes que eu poderia citar aqui: Lúcio Autran, Pedro Gabriel, Maria Helena Sleutjes, Katleen Lessa,Renato Baptista da Luz, Vanice Zimerman, Osmarosman Aedo e tantos outros amigos que fica impossivel citar a todos e que estão dando novos horizontes à poesia aqui no Paraná.

LAM - Quais os projetos que você tem por perspectiva de realizar?

 

Minha prioridade para 2016 é lançar o meu primeiro livro de poesias. Pretendo fazer um livro bem estruturado e com poesias e alguns kaikais. E enquanto isso não acontece, eu permaneço postando nos blogs e sites contando sempre com a gentileza de amigos como você, levanta a bandeira da poesia e das artes. A você Luiz Alberto Machado, meu muito obrigada, meu carinho e admiração por você é imenso.

 

 

Veja mais dela aqui.